Buscar
  • Professor Lucio Reis

A Arte de não "reter"​ pessoas.


Algumas pessoas proporcionam felicidade aonde vão; outras proporcionam felicidade quando se vão. Oscar Wilde


Fazendo uma reflexão hoje sobre os treinamentos que tenho ministrado e lembrando de algumas histórias de alguns alunos, precisei fazer uma pausa um pouco maior nos pensamentos…Tenho ensinado sobre a importância de reter e desenvolver o Capital Humano da empresa que por vezes nos esquecemos que existem alguns casos que não vamos conseguir.


Existem pessoas que sugam completamente nossas forças e da empresa que por vezes a melhor opção é libera-las para irem embora.

Você já passou por isso? Colaboradores que por mais que você investisse em suas vidas não foi o suficiente? Sentiu-se impotente?


Pois é, não é um privilégio seu. É mais comum do que se parece e por isso você não deve se sentir tão deprimido assim.


Existem pessoas que precisam de terapia antes do emprego e não serão treinamentos que irão muda-las. Precisamos ser sinceros. Sei que há a questão humana em jogo, mas quanto vale comprometer uma equipe em detrimento de uma pessoa que não quer mudar a própria vida?


Sempre vale lembrar aos críticos de plantão que uma empresa se move por resultados e está ali para isso e não como uma instituição de caridade.

Sendo simples e direto, pessoas “radioativas” precisam ser substituídas o quanto antes pelo bem e saúde da equipe e instituição. Por vezes o corte precisa ser feito na própria carne, nesse caso temos que desenvolver a arte de não reter pessoas.


E se você tem percebido que suas atitudes tem afastado as pessoas, então está na hora de pedir ajuda a um profissional capacitado. Já chega de machucar quem não merece.

O que você pensa sobre isso?


Fraterno abraço

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo